“Com Tradição” – Esclarecimento Muito Importante

GAITAS DE FORA 2Por intermédio de um amigo nosso (cuja identidade julgamos por bem manter no anonimato), tomamos conhecimento de alguns rumores, os quais, atribuíam a organização do evento “Com Tradição” a determinadas empresas e entidades, com supostos fins propagandísticos.

Ainda que tais boatos não devam ser valorizados, com o risco de se tornarem virais, a bem da verdade e de todas as pessoas e grupos que participaram e que tornaram possível a verdadeira festa que consistiu o “Com Tradição”, afigura-se-nos como justo prestar um curto esclarecimento.

O “Com Tradição” partiu da vontade da Associação Cultural Torre de Moncorvo, na circunstância representado pela Rádio Torre de Moncorvo e do programa Gaitas de Fora, juntamente com a Junta de Freguesia de Torre de Moncorvo, de proporcionar, a todos os interessados, uma noite dedicada à música tradicional de raiz irlandesa e portuguesa.

A estes, acima citados, deve ser atribuída a organização do evento, tanto que respeita às suas debilidades como aos seus eventuais méritos.

Relativamente a entidades externas, o único apoio externo de que dispusemos na organização do evento “Com Tradição”, partiu do Consórcio Baixo-Sabor-ACE, o qual providenciou apoio a nível logístico, daí a inclusão do logotipo no cartaz do evento, bem como a correspondente menção no spot promocional do “Com Tradição” da Rádio Torre de Moncorvo. Como pessoas gratas que somos, apenas temos a agradecer o fornecimento do equipamento solicitado. Convém, contudo, acrescentar que tal ajuda não se reveste de qualquer carácter excepcional, sendo até uma conduta comum, noutros certames organizados em Torre de Moncorvo de âmbito municipal.

Quanto aos supostos fins propagandísticos, quem esteve no “Com Tradição” sabe que a única coisa que realmente se promoveu foi a música tradicional de Irlanda e Portugal. Apenas temos a lamentar se algumas pessoas deixaram de comparecer a esta festa com base em rumores e boatos cuja origem é para nós completamente incompreensível.

Gostaríamos de concluir, sublinhando que gostamos demasiado da Música, para retirarmos qualquer proveito ou mais-valia, que não seja a própria fruição da mesma.

Andrew May e Pedro Xavier

Anúncios