Programa 10

Já está disponível a emissão “dois dígitos e dois meses” do Gaitas de Fora. De facto, cumprimos ontem a décima emissão do nosso programa, sensivelmente dois meses após o começo. Aos mais distraídos lembramos que o nosso pequeno sonho se iniciou a um funesto trigésimo dia do mês de Agosto deste ano. Emissão dividida entre as referências ao Dia das Bruxas por parte do Andrew (festividade de significativa importância cultural na Irlanda) e de algumas propostas curiosas, materializadas no percussionista Rui Júnior ou no cantautor Luís Cília. No “Pular a Cerca” fomos até ao Brasil à boleia de um músico galego e depois demos um saltinho até à Alemanha, para nos lembrar que nem tudo o que de lá nos chega é necessariamente ruim.

Não se esqueçam de prestar atenção à faixa em destaque desta quinta-feira no álbum da Semana, “Arthur Macbride”, retirada do álbum de Andy Irvine e Paul Brady

Boa audição!

Havemos de nos ver outra vez – Amélia Muge
(Taco a Taco – 1998)

Não se me dá que vindimem – Filipa Pais
(À Porta do Mundo – 2003)

Port na bPuchai – Tommy Peoples
(Waiting for a call – 2002)

The Cat That Ate The Candle – Altan
(The First Album – 1987)

Maribamdo – Rui Júnior
(O Ó que som tem? – 1983)

Luís Cília – Canção do Figueiral
(O Guerrilheiro 1974)

The Salamanca, Lucy Campbell – Tommy Peoples
(An Exciting Session with one of Ireland’s Leading Fiddlers – 1976)

Turkish Song of the Damned – The Pogues
(If I Should Fall From Grace With God – 1988)

Alvorada de Catorala – Carlos Nunez
(Alborada do Brasil -2009)

Hunting Dance – Poeta Magica
(Ferox – 1999)

Flagrante – António Zambujo
(Quinto – 2012)

The Sally Gardens – Arty McGlynn
(McGlynn’s Fancy – 1980)

Anúncios